<
 

D I R E C Ç Ã O

Gastão Cruz (Presidente)
Carlos Mendes de Sousa
Fernando Pinto do Amaral
Luís Quintais
Nuno Roque da Silveira

AO F U N D A Ç Ã OOL U Í S OM I G U E LON A V A
 

 

 
Constituída para cumprimento da vontade do poeta e ensaísta Luís Miguel Nava, falecido em 9 de Maio de 1995, tal como ficou consignada no seu testamento, a Fundação Luís Miguel Nava iniciou a sua actividade em 1997, propondo-se, fundamentalmente, concretizar os dois objectivos essenciais indicados por aquele escritor: a publicação regular de uma revista de poesia e a atribuição de um prémio destinado a galardoar uma obra poética representativa.
AO R E V I S T A OR E L Â M P A G O
 

 

 
A revista, intitulada Relâmpago, é semestral e tem obedecido rigorosamente a esta periodicidade, desde que, em Outubro de 1997, saiu o primeiro número, focando a figura literária e humana do patrono da Fundação, o poeta Luís Miguel Nava. Em Abril de 2005 de novo a revista publica um vasto dossier sobre o autor, revisitando a sua escrita e personalidade através de um conjunto de ensaios, depoimentos e fotografias, incluindo O Livro de Samuel, um texto inédito, incompleto, recentemente fixado por Alexandre Garcia.Os escassos dez anos decorridos sobre a sua morte consagraram-no já como uma personalidade de primeiro plano na literatura portuguesa das últimas décadas.

A revista Relâmpago tem dedicado, de forma idêntica, alguns dos seus números ao estudo e à abordagem documental de outros grandes poetas portugueses contemporâneos, nomeadamente Ruy Belo, António Ramos Rosa, Fiama Hasse Pais Brandão, Sophia de Mello Breyner Andresen, Carlos de Oliveira, Alexandre O’Neill, Eugénio de Andrade, Luiza Neto Jorge, Jorge de Sena, David Mourão-Ferreira, Mário Cesariny, Vitorino Nemésio, Irene Lisboa e Herberto Helder. Foram também editados números dedicados a Luís de Camões e a Eduardo Lourenço.

Outros números centraram-se em temas diversos destes, seja de teoria poética (“O Lugar da Poesia”, “Como Falar de Poesia?”, “Como se Faz um Poema?”, “A Tradução de Poesia”, “Poesia e Música”, “Poesia e Artes Visuais”, “Poesia e Dinheiro”, “Elegias”, “Poesia e Revolução”, “O Estado da Poesia”, “Poesia e Morte”, “Poesia e Viagem”), seja de natureza didáctica (“A Poesia e o Ensino”), seja de carácter panorâmico e abrangente (“Poesia Brasileira Actual”, “Nova Poesia Portuguesa”).

Têm colaborado na revista, com textos inéditos, muitos dos mais importantes poetas portugueses e brasileiros, assegurando-se igualmente a apresentação de poesia de línguas estrangeiras, em tradução, e uma secção de recensões críticas, que acompanha atentamente o movimento editorial português, no campo da poesia.
OO P R É M I OOD EO P O E S I AOL U Í S OM I G U E LON A V A
 

 

 
O Prémio de Poesia Luís Miguel Nava, no valor de cinco mil euros, atribuído anualmente até 2007, passou a bienal em 2009. O júri é constituído por quatro elementos fixos pertencentes à direcção da Fundação Luís Miguel Nava (Carlos Mendes de Sousa, Fernando Pinto do Amaral, Gastão Cruz e Paulo Teixeira, tendo este último sido substituído por Luís Quintais a partir de 2009) e por um quinto elemento, diferente de ano para ano, tendo em vista assegurar, por um lado, alguma rotatividade na avaliação crítica, mas, por outro, uma desejável coerência quanto aos critérios de escolha das obras.
Indica-se, seguidamente, a lista dos livros de poesia galardoados, nas treze edições do prémio já efectivadas, assim como o nome do membro do júri externo à Fundação Luís Miguel Nava, em cada ano:

Prémio de Poesia Luís Miguel Nava de 1998 (referente a livros publicados em 1997): O Búzio de Cós de Sophia de Mello Breyner Andresen (elemento externo do júri: Fernando J. B. Martinho);

Prémio de 1999 (referente a 1998): Geórgicas de Fernando Echevarría (elemento externo do júri: Gustavo Rubim);

Prémio de 2000 (referente a 1999): Quatro Caprichos de António Franco Alexandre (elemento externo do júri: João Barrento);

Prémio de 2001 (referente a 2000): Lisboas de Armando Silva Carvalho (elemento externo do júri: Paula Morão);

Prémio de 2002 (referente a 2001): Teatros do Mundo de Manuel Gusmão (elemento externo do júri: Helena Buescu);

Prémio de 2003 (referente a 2002): Lições de Trevas de Fernando Guimarães (elemento externo do júri: Manuel Gusmão);

Prémio de 2004 (referente a 2003): Os Livros de Manuel António Pina (elemento externo do júri: Margarida Braga Neves);

Prémio de 2005 (referente a 2004): Duelo de Luís Quintais (elemento externo do júri: Fátima Freitas Morna);

Prémio de 2006 (referente a 2005): Génese seguido de Constelações de António Ramos Rosa (elemento externo do júri: Manuel António Pina);

Prémio de 2007 (referente a 2006): Analogia e Dedos de Pedro Tamen (elemento externo do júri: Pedro Mexia);

Prémio de 2009 (referente a 2008): As Têmporas da Cinza de A.M. Pires Cabral(elemento externo do júri: António Carlos Cortez);

Prémio de 2011 (referente a 2009 e 2010): Se as coisas não fossem o que são de Helder Moura Pereira (elemento externo do júri: Fernando J.B. Martinho);

Prémio de 2013 (referente a 2011 e 2012): Sitios de José Bento
(elemento externo do júri: Fernando J.B. Martinho);

Os prémios têm sido entregues em sessões públicas, realizadas, nos três primeiros casos, no Palácio Galveias (Biblioteca Central da Câmara Municipal de Lisboa), nos três seguintes em livrarias, no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz, Teatro do Bairro Alto e Casa Fernando Pessoa. Estas sessões têm, por vezes, coincidido com a apresentação de um novo número da revista Relâmpago, realizando-se leituras de poemas do autor premiado, pelo próprio e por actores convidados pela Fundação, para além das habituais intervenções justificativas da atribuição do prémio, por um dos membros do júri e, sendo caso disso, leituras de poesia da personalidade homenageada nas páginas da revista.

Prémio de Poesia Luís Miguel Nava
O U T R A SO I N I C I A T I V A SOE D I T O R I A I S
D AO F U N D A Ç Ã OOL U Í S OM I G U E LON A V A
 

 

 

Por iniciativa desta Fundação foi publicada, pela editora Publicações Dom Quixote, em 2002, a Poesia Completa de Luís Miguel Nava, contendo alguns poemas inéditos, além de um prefácio de Fernando Pinto do Amaral e um posfácio de Gastão Cruz, que também se encarregou do organização do volume.

Em 2004 saíram, por sua vez, numa edição Assírio & Alvim, os Ensaios Reunidos de Luís Miguel Nava, em que são abordados, além de alguns escritores estrangeiros, muitos dos principais poetas portugueses do século XX. A obra foi prefaciada por Carlos Mendes de Sousa.

E N T I D A D E SO C O MOA SOQ U A I SOAO F U N D A Ç Ã OOL U Í S OM I G U E LON A V AO
T EMOC O L A B O R A D OOO UOC O L A B O R A
 

 

 

Câmara Municipal de Lisboa (cedência de espaços para sessões)

Teatro da Cornucópia (cedência de espaços para sessões)

Banco BPI (patrocínio de 2002 a 2016)

Publicações Dom Quixote (edição da Poesia Completa de Luís Miguel Nava)

Relógio D’Água Editores (co-editores da revista Relâmpago até 2001)

Assírio & Alvim (distribuidora da revista Relâmpago de 2001 a 2005 e editora dos Ensaios Reunidos de Luís Miguel Nava)

Sodilivros (distribuidora da revista Relâmpago de 2005 a 2011)

Estampa (distribuidora da revista Relâmpago de 2011 a 2016)

IPLB/Instituto Português do Livro e das Bibliotecas (compra de exemplares da revista, destinados as bibliotecas da rede pública)

 

E D I Ç Ã OO O N L I N E

Nuno Marques Mendes

 
Voltar ao topo
<
>